Prefácio de Prof. Doutor Jacinto Jardim

Capa de Profa. Doutora Susana Gonzaga

Composição & Paginação: Dr. Luís da Cunha Pinheiro

CLEPUL- Pólo Madeira, Profa. Doutora Luisa Paolinelli

 

 

Editado pelo CLEPUL-FLUL / UMa (FCT), FCT / Proj. “UID/ELT/00077/2013”, Lisboa, Outubro de 2017, ISBN – 978-989-8814-74-6

disponível em formato digital:

 

  • Gabinete de educação para o empreendedorismo & cidadania (CIDH)

https://globalskills.pt/dossie-de-actividades-os-verbos-operativos-na-melhoria-cognitiva-e-na-aprendizagem-dos-alunos/#more-1606


 

 

  • Revista CLEPUL nº 30-Dez, Recensões, Jacinto Jardim,  pp. 16 -18, www.clepul.eu

 

Instituições Envolvidas:

Universidade da Madeira

Secretaria Regional da Educação da R.A.M.

   Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. Horácio Bento Gouveia

   Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos do Caniço   

   Escola Básica 2º 3º Ciclos Cónego João Jacinto Gonçalves Andrade

          

Colaboradores (Equipa de Formação|Projeto):

Prof. Doutor Leandro da Silva Almeida,

Dra. Maria da Conceição Teixeira Ramos,

Dra. Filipa Fabiana Faria Abreu,

Dra. Ana Cristina Jales de Oliveira Afonso,

Dra. Elisabete da Conceição Pinheiro de Sousa,

Dra. Florinda Gomes Granito,

Dra. Helena Cristina Gomes Gonçalves,

Dra. Ivone Fernandes da Silva Jesus,

Dra. Júlia Cristina Saunders Gomes Rocha,

Dra. Maria de Lurdes Castro Santos,

Dra. Maria Goreti Loja Ferreira,

Dr. Paulo Tarcísio Gouveia Rodrigues Alves

 

Revista CLEPUL nº 30-Dez, Recensões, Jacinto Jardim,  pp. 16 -18, www.clepul.eu

Os Verbos Operativos na Melhoria Cognitiva e na Aprendizagem dos

Alunos. Dossiê de Atividades, Alcina de Sousa, António Paulo

Rodrigues e Elisete Almeida (coordenação), Lisboa, CLEPUL, 2017.

ISBN: 978-989-8814-74-6

«Neste momento em que, como sociedade, se repensa o agir educativo, revela-se muito oportuna a publicação da obra Os Verbos Operativos na Melhoria Cognitiva e na Aprendizagem dos Alunos. Nela são colocados em proeminência sete processos cognitivos fundamentais: conhecer, compreender, aplicar, analisar, sintetizar, criar e avaliar.

Para a ativação dos verbos operativos correspondentes aos processos cognitivos identificados, os autores propõem múltiplas estratégias de aprendizagem. A sua diversidade pode ser verificada no recurso a dinâmicas com referências às novas tecnologias e à comunicação em rede, à literatura e às ciências, ao teatro e ao cinema, ao desporto e à riqueza cultural, com particular destaque para os valores culturais nacionais e regionais. Estas dinâmicas, visando o desenvolvimento dos processos cognitivos no processo de ensino-aprendizagem, revelam-se eficazes e originais, uma vez que facilitam a consecução dos objetivos que subjazem às ações educativas; revelam-se também significativas e atrativas para a mundividência dos alunos de hoje, dado que estes foram sobejamente envolvidos e comprometidos com este projeto. Tendo em consideração a pertinência e a atualidade deste estudo, a equipa de investigação e de trabalho, liderada pela Profa. Doutora Alcina de Sousa, constitui um exemplo paradigmático do mérito na busca da excelência e da qualidade na educação: interliga a reflexão teórica e científica à prática quotidiana e interdisciplinar do agir educativo; recorre a um dos métodos que se tem revelado muito adequado para a observação, a reflexão, a investigação e a renovação das práticas escolares – o método da investigação-ação; envolve professores e investigadores, enriquecendo o desenvolvimento do projeto com as competências e os contributos específicos de cada um desses profissionais; pauta-se pela interdisciplinaridade, uma vez que recorre à Psicologia da Educação, à Linguística Aplicada, à Linguística Românica, à Didática da História e à Didática da Língua Francesa. Acrescente-se ainda que um outro dos méritos desta investigação-ação prende-se com o facto de todas as atividades formativas ministradas aos professores na preparação da implementação deste projeto terem sido realizadas pro bono pela equipa de trabalho, sendo esta atitude uma expressão da pluralidade de ações voluntárias, generosas e competentes dos professores. Analisando todo este projeto, confirma-se que os alunos que usufruirão desta proposta, verificarão melhorias cognitivas e metacognitivas, sobretudo aprendendo a ciência e a arte de pensar, de escrever e de debater com profundidade, com rigor e com poder argumentativo. Além disso, através das estratégias aplicadas, ficarão habilitados a atingir eficaz e proficientemente os objetivos fundamentais da educação: o desenvolvimento harmonioso e coerente da pessoa, com base num projeto de vida conducente à autorrealização; o desenvolvimento de competências sociais habilitadoras de uma participação social responsável e comprometida; o desenvolvimento de aptidões estruturantes para a construção de um projeto profissional criativo e empreendedor.

No sistema educativo português contemporâneo verifica-se uma revolução silenciosa. Acontecem mudanças, tanto subterrâneas como visíveis, tanto explícitas como implícitas, consequentes da globalização, da tecnologização e da insatisfação. Para que a renovação se encaminhe numa direção construtiva e positiva, no sentido das melhorias cognitivas e da consecução das finalidades fundamentais da educação, urge repensar o agir educativo, tanto em termos de políticas educativas como em termos de processos cognitivos fundamentais a ativar nos alunos.

O projeto Os Verbos Operativos na Melhoria Cognitiva e na Aprendizagem dos Alunos constitui uma “lufada de ar fresco” na reflexão educacional. Tanto do ponto de vista teórico como prático, contribui efetivamente para a renovação do agir quotidiano e para se repensar o essencial da educação. Nesta ponderação, a reflexão, a investigação e o debate sobre os objetivos fundamentais da educação, ocupam um lugar relevante. Não é suficiente debater as dimensões burocráticas, administrativas, económicas e avaliativas. Pensar a educação significa retomar os fundamentos, a natureza, as finalidades, os objetivos educacionais. Nessa tarefa, a Filosofia da Educação e as Teorias da Educação dão um contributo precioso para a identificação, definição e justificação do essencial. Nesse sentido, os verbos operativos trabalhados nesta investigação constituem uma base imprescindível para a reflexão e a renovação das escolas portuguesas. Estabelecendo um quadro teórico muito oportuno para a busca de um maior rendimento escolar e de melhores resultados nas competências pessoais, sociais e profissionais, apontam para dimensões essenciais do ensino. Parabéns à equipa de trabalho e de investigação! E que os docentes e os alunos usufruam convenientemente desta ação investigação, tanto através da leitura, como do debate e da aplicação dos processos cognitivos de conhecer, compreender, aplicar, analisar, sintetizar, criar e avaliar. Assim . . . a revolução serena e silenciosa que está a acontecer na educação terá um grande impacto nos tempos vindouros e a história da educação compor-se-á cada vez mais de processos pedagógicos de ensino e de aprendizagem inovadores, significativos e proficientes.»

Jacinto Jardim